Será que posso fazer depilação a laser ou por luz pulsada?

Será que posso fazer depilação a laser ou por luz pulsada?

Será que posso fazer depilação a laser ou por luz pulsada?

Os tratamentos de fotodepilação, sobretudo a fotodepilação por luz pulsada intensa, são considerados procedimentos seguros. Contudo, em alguns casos, são altamente desaconselhados por apresentarem riscos graves para a saúde. Fique aqui a saber se é a pessoa indicada para este tipo de tratamento.

Por onde começar?

Em primeiro lugar, deverá assegurar-se que não tem qualquer tipo de infeção bacteriana, viral ou fúngica. Caso contrário, deverá tratar a infeção antes de iniciar as sessões de fotodepilação.

Todas as clientes com história clínica de formação de cicatrizes hipertróficas ou queloides devem informar a profissional que irá realizar o tratamento para que esta faça uma avaliação prévia e execute sessões menos agressivas. É preferível realizar mais sessões de fotodepilação mas evitar qualquer tipo de complicação posterior.

Quem sofrer de fotossensibilidade, psoríase, vitiligo ou quaisquer outras manchas habituais na pele também não deve submeter-se à fotodepilação, pois corre o risco de agravamento dos sintomas das doenças e de formação de lesões graves. Aliás, certas pintas na pele, como alguns sinais, se não forem cobertos durante o tratamento com fotodepilação, poderão evoluir para um cancro de pele. O mesmo princípio se aplica às tatuagens (não às tatuagens temporárias), que também deverão ser cobertas com uma toalha para evitar a exposição excessiva à luz.

No caso do rosto, dever-lhe-ão ser fornecidos uns óculos de proteção.

As mulheres grávidas ou  que estejam a amamentar também não deverão submeter-se a sessões de fotodepilação: ainda não existem estudos reconhecidos medicamente que avaliem os efeitos deste procedimento sobre o feto ou qualidade do leite materno.

A fotodepilação também não é recomendada a pessoas com varizes, pacemakers, hemofilia, patologias cardíacas ou que se encontrem a fazer tratamento com anticoagulantes.

As pacientes diabéticas estão também impedidas de aplicar estes tratamentos, uma vez que a diabetes afeta a sensibilidade e interfere com o processo de regeneração cutânea.

As mulheres com pele negra devem aplicar uma proteção especial durante a fotodepilação pois a pele negra absorve demasiada luz, já que contém bastante melanina, existindo o risco agravado de lesões.

Medicação que possa aumentar a fotossensibilidade ou interferir com o processo regenerativo deve também ser suspensa nas 6 semanas anteriores. Informe-se junto do seu médico ou profissional que irá executar o tratamento.

Comentários recentes...